sábado, 18 de setembro de 2010

Um caderno de receitas ou como fazer as pazes com a mãe, a comida e o apetite!



Muitas vezes o amor pelos torresmos é tão intenso que pode acabar virando pelo avesso e, aquele que nos seduz com o prato cheio demais de Pururucas Botrel (lembram-se?) acaba se transformando na “bruxa da comida” , que, no final, na nossa cabeça, vai, fatalmente, querer nos comer também! Tipo João e Maria sabe?
Desta forma, dá um “medão” e a gente acaba por não querer comer direito! Fica meio apavorado e acaba não ligando muito, mais, para a comida.
É lógico que não é uma boa idéia mas naquela hora, como a gente não sabe muito bem de outras idéias melhores, a gente acaba acolhendo essa mesmo!

Foi assim que eu,  menininha de 6 anos, parei de comer direito. Virei a “Menina luxenta do livro de histórias”, aquela que nada aguçava o apetite. Quando minha mãe perguntava,  e era toda hora:
-Você quer isso?Você quer aquilo? E isso você come?
E assim por diante.
Tinha muita gente triste com essa história e precisávamos arrumar um jeito de ajeitar as coisas.
Então minha dinda, que era minha irmã mais velha teve uma ótima idéia. Ela apostava que funcionaria bem essa idéia.
 Um belo dia propôs o seguinte:
-Vamos fazer um caderno de receita para darmos pra mamãe no dia das mães?
 Eu devo ter concordado, não me lembro, mas sei que tive muito prazer em escolher o caderno, encapá-lo com um plástico verde, fazer uma dedicatória na primeira página e depois passar vários dias achando gravuras de comidas gostosas, recortando-as para colar nas folhas internas do caderno no intuito de enfeitá-las.
Mas o melhor dessa empreitada foi o movimento de fazer as pazes com a mãe, com a comida e com o apetite, além de propor, no intervalo, a escrita das receitas.
Muito importante isso: fazer um espaço de escrita entre nós, que não fosse no corpo a corpo!
Dentre as várias imagens que colei naquele caderno e que hoje me vem a mente, uma suculenta sopa de ervilha se destaca.
 Não sei se existia a receita de tal sopa mas isso realmente não importa. Hoje posso procurar por uma e é isso que quero passar pra vocês!

 1 pacote de sopa de ervilha
1 litro 200 ml de água
200 g de ervilhas congeladas batidas no liquidificador
2 colheres de sopa de manteiga
Sal e pimenta do reino moída na hora
1 cebola picada
200 g de bacon picadinho e bem fritinho
Torradinhas de pão italiano para acompanhar

Em uma panela refogue a cebola na manteiga, junte as ervilhas processadas e acrescente a água. Quando estiver quente coloque a sopa creme e não pare de mexer. Deixe ferver até engrossar e aí junte o bacon fritinho e em cubos. Agora coloque os temperos e sirva com pão italiano torrado.


(contribuição de uma menininha, hoje moça, a quem sofra de falta de apetite por razões similares!)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário